Gênios fracassados: por que pessoas talentosas não conseguem ter sucesso?

Posted on junho 1, 2011

0


Auvers-sur-Oise, França, 27 de julho de 1890. Financeiramente desequilibrado, Vincent, irmão de Theodorus e paciente do doutor Gachet – conhecido psiquiatra da região, atira contra o próprio peito, em um campo de trigo, perto da casa onde mora. O disparo não é certeiro e ele acaba retornando ao próprio quarto, cambaleante, mas sem deixar ninguém na rua perceber o ocorrido. Vincent permanece recluso até o dia 29, quando é encontrado por alguns amigos. Mas já é tarde.
O motivo exato do suicídio nunca ficou claro para as pessoas do pequeno povoado situado nas redondezas de Paris. Mas cogitou-se, na época, que o descontrole emocional de Vincent, intensificado pelo inconformismo com a situação financeira enfrentada por ele e o irmão, o tenha levado à atitude drástica. Vincent era pintor e Theodorus tentava vender seus quadros, mas os trabalhos não empolgavam ninguém a pagar muita coisa por eles.
Hoje, mais de um século depois, poucos artistas são tão venerados no mundo quanto Vincent, que somente após a morte conseguiu sucesso e ficou conhecido por seu sobrenome: Van Gogh. Considerado um precursor da ligação entre tendências impressionistas e o modernismo, o pintor, que é de origem neerlandesa, influenciou diversas vanguardas que surgiram em diferentes países no início do século XX.
Assim como Van Gogh, muitos outros profissionais, extremamente competentes na atividade em que são especialistas, não conseguem tirar proveito da própria genialidade. Por quê?
O escritor norte-americano John C. Maxwell, que é especialista em treinamento de líderes e autor do livro “Talento não é tudo”, afirma que essa capacidade pessoal “é algo muitas vezes superestimado e frequentemente mal entendido”. Segundo ele, “quando as pessoas realizam grandes coisas, os outros muitas vezes explicam suas realizações atribuindo-as ao talento. Mas esta é uma maneira falsa e equivocada de encarar o sucesso”.
Maxwell ressalta em seu livro que o talento tem, sim, sua importância, e não pode ser desconsiderado. “Onde os Estados Unidos estariam se o país não tivesse sido formado por líderes talentosos?”, afirma o escritor. No entanto, ele afirma que é preciso ir além, transformar competência em eficiência.
O pai da administração moderna, Peter Drucker, dizia que “inteligência, imaginação e conhecimento são recursos essenciais, mas somente a eficiência os converte em resultado”. Para o consultor Deni Belotti, o compromisso com os próprios projetos é fundamental, e não pode ser esquecido. Para ele, a regra básica é: persistência. Segundo Belotti, é preciso ter “visão, capacidade de sonhar grande e, é claro, uma grande dose de determinação”.
Já Elias Awad, palestrante corporativo e biógrafo de grandes executivos brasileiros – como Samuel Klein, da Casas Bahia – afirma que, no mercado de trabalho, a melhor maneira de transformar talento em sucesso é somando. “Em um mundo onde é inadmissível pensar em realizar algo sozinho, eu acrescento ao pensamento do mestre Peter Drucker que não basta apenas a sua convergência e o seu comprometimento, mas sim o da equipe”, afirma Awad.
O escritor complementa chamando atenção para a questão da autoconfiança. Segundo o escritor, é ela que “levará ao merecimento. Ou seja: eu me empenho, eu me aprimoro, eu estudo, eu leio… Portanto, mereço ser feliz e ter sucesso. Enquanto isso não estiver muito claro em nossas mentes, os problemas e adversidades, muitas vezes criados ou potencializados por nós mesmos, serão mais fortes que nossas capacitações e objetivos. Dizem que querer é poder… Então, antes de poder, você precisar querer”, afirma Awad.
A importância das escolhas
Na vida, nem sempre fica claro qual o melhor caminho para se chegar a um determinado objetivo. Na verdade, saber claramente qual objetivo perseguir não é uma tarefa muito fácil. As opções são muitas e uma coisa é importante ter em mente: nem sempre dá pra escolher todas. Por isso, grande parte do sucesso de um profissional, certamente, dependerá das decisões tomadas ao longo da carreira. Como fazer isso da maneira certa?
“Saber escolher e decidir é fruto de exercício constante”, afirma Elias Awad. Segundo o escritor, “quanto mais se praticam escolhas e decisões, certamente, mais apurado fica seu feeling”.
Awad chama atenção, no entanto, para o fato de a confiança excessiva na experiência adquirida ao longo da vida poder atrapalhar na hora de se tomar uma decisão. “Quanto mais apurado seu feeling, mais atento aos detalhes você deve estar, para não tomar decisões e assumir escolhas fundamentado apenas na autoconfiança”, explica o escritor.
Talvez Van Gogh tenha tomado decisões erradas, não tenha acreditado no próprio potencial nem conseguido gerir seu trabalho. Ou não. O gênio pode, simplesmente, ter sido um incompreendido. Mas, e você: tem conseguido transformar seu talento em sucesso? Afinal, como diz John C. Maxwell, “todos temos algo que podemos fazer bem”.

Simão Mairins

Disponível em: <http://www.administradores.com.br/informe-se/carreira-e-rh/genios-fracassados-por-que-pessoas-talentosas-nao-conseguem-ter-sucesso/36775/&gt; Acesso em: 01 jun. 2011