Aquele antigo adágio

Posted on maio 24, 2011

1


O antigo adágio “o mundo dá voltas” deveria fazer parte da filosofia de vida das pessoas, pois quando menos se espera o tal adágio se faz presente e remete ao passado, mostrando que quanto melhor for o tratamento dado às pessoas, consequentemente melhores serão os frutos colhidos futuramente.
Outro dia soube de um caso que ilustra bem esta situação: havia duas garotas que moravam no mesmo bairro quando adolescentes, uma era popular, bonita, tinha a admiração e o respeito dos outros, a outra mais tímida e gordinha não tinha a mesma sorte que a primeira, então não era raro vê-la sendo espezinhada pelos outros, especialmente pela garota popular que insistia em apelidá-la do modo mais grosso possível, tratando-a com desrespeito e humilhando-a sempre que podia.
Com o passar do tempo, tornou-se cada vez menos freqüente que as duas se encontrassem já que cada uma tinha seus afazeres, a garota bonita estudava e passava suas horas vagas com os amigos que ali moravam. A garota gordinha também estudava pela manhã, mas durante as tardes, em dias alternados, fazia curso de inglês. Assim, cada uma seguia o seu rumo.
Um dia aquela garota bonita, agora crescida, já havia terminado o ensino médio e estava à procura de emprego, então buscou uma empresa bem conceituada e enviou seu currículo que, posteriormente, foi selecionado para uma primeira entrevista. Então, lá estava ela aguardando a sua vez de ser entrevistada.
A porta da sala de entrevistas se abriu e uma moça solicitou que ela entrasse. Quando entrou na sala da gerente para ser entrevistada, eis que teve uma surpresa: quem estava ali coma gerente era aquela menina do bairro, a gordinha que tanto humilhou, agora não mais como antes, pois estava magra, muito bonita e tinha um cargo invejável! Naquele momento ela percebeu que “o mundo dá voltas”, engoliu em seco, não sabia como agir, ficou paralisada diante da situação, sentia-se envergonhada do que havia feito no passado, pensou até que seria escorraçada, porém, a gerente era uma pessoa extremamente profissional, chamou educadamente a candidata de modo diplomático, pediu que se sentasse e iniciou a entrevista tratando a candidata do modo como trataria qualquer outra pessoa.
Ainda que a gerente tivesse diversos motivos para tratar a candidata do mesmo modo como esta havia lhe tratado na adolescência não o fez, pois sabia que esta era uma situação que um dia poderia se reverter, ainda que não tivesse esquecido o que aconteceu no passado.
É preciso lembrar que a vida nos reserva muitas surpresas, cabe a nós escolher se serão boas ou ruins. Tratar os outros da melhor forma possível é uma das maneiras de criar uma boa rede de relacionamentos, afinal, nunca se sabe quando precisaremos do outro.

Júlia Cristiane Schultz-Pereira