O cobrador de ônibus

Posted on julho 11, 2010

0


Naquele final de tarde, o rapaz, após um dia cansativo, pegara o ônibus para voltar para casa. Não via ele a hora de chegar, pensando nas inúmeras coisas que estavam por serem concluídas, os projetos, o dia seguinte, a vida difícil que levava, as contas, os aborrecimentos.
Subiu o ônibus cabisbaixo e, como de costume, foi em direção à catraca buscando um lugar para sentar-se. Ali, o cobrador olhou em seus olhos, abriu aquele sorriso e o cumprimentou como se fosse um velho conhecido. O rapaz, meio sem entender o motivo de tamanha alegria, retribuiu o cumprimento e logo procurou sentar-se.
A alegria daquele trabalhador deixou o rapaz desconcertado… Mas ele procurou concentrar-se nova-mente nos seus afazeres. Como isto não foi mais possível, ele resolveu deixar seus pensamentos de lado e procurou observar qual o motivo que levava o cobrador a agir daquela maneira, pois notou que todos os passageiros estavam recebendo o mesmo tratamento gentil.
O jovem estava admirado com as atitudes do cobrador e surpreendia-se cada vez mais. Passou a observar que ele dava às pessoas troco a mais quando não tinham a quantidade certa, ajudava os idosos a subir e descer do ônibus, segurava as crianças para que não caíssem, enquanto os pais pegavam o dinheiro da passagem, fechava as janelas ao ver alguém incomodado com o vento, procurando o bem-estar de todos os passageiros, sem qualquer distinção.
Quanto mais o tempo passava, mais o rapaz se surpreendia, e queria entender porque o cobrador ajudava as pessoas, ao constatar que, de muitos, ele não recebia sequer um sorriso e, às vezes, era até maltratado. Aquele momento parecia até um espetáculo que tinha um tema principal: a felicidade!
O ônibus fazia a última curva antes do ponto final quando o cobra-dor levantou-se, olhou os passageiros e disse: – “Eu desejo a todos vocês um ótimo final de tarde e um ótimo fim de semana; que possam chegar em paz em suas casas e descansar! Noto que algumas pessoas me olham assustadas, mas saibam que toda vez que pegarem esse ônibus é esse tratamento que terão. Meu jeito de trabalhar é assim e acho que se cada um fizer a sua parte viveremos num mundo melhor. Boa tarde!”
As pessoas foram embora, surpresas e pensativas… Para muitos, os gestos do cobrador foram um motivo para ganhar o dia. Uma pessoa comum que, assim como nós, tem vários problemas, mas, procurando esquecer de si e pensando nos outros, transformou o momento de vida daqueles passageiros.
A vida nos traz diversas lições e as maiores estão nos exemplos que encontramos ao longo de nosso caminho. Se quisermos, poderemos fazer a diferença na vida de algumas pessoas com nossas atitudes e pensar no outro e fazê-lo sentir-se bem nos trará mais felicidade do que pensar apenas em nós mesmos. Como disse o cobrador, se cada um fizer a sua parte certamente teremos dias melhores e isso trará para nossa vida algo de muito especial: a certeza de que fizemos a diferença para alguém, e a felicidade interior que teremos com isso!

Júlia Cristiane Schultz Pereira

Posted in: Cotidiano