As faces de um dado

Posted on abril 12, 2009

1


dadoVocê já observou um dado? Certamente que sim… Uma pessoa pode ser comparada a um dado no que se refere às suas diversas faces ou aos papéis que exerce em sua vida. Na maioria das vezes, quando se conhece pouco sobre uma pessoa, torna-se mais difícil imaginar como esta desempenha outros papéis que não seja aquele que estamos acostumados a ver.
Outro dia um aluno me contava a respeito de um ídolo que lhe era parcialmente desconhecido até que veio à tona a verdade… A verdade sobre quem realmente era este ídolo, que estava distante de ser o que as pessoas acreditavam que era. Mas… Será que em algum momento o tal ídolo sustentou a falsa imagem que as pessoas tinham dele? Será que a imagem era realmente falsa ou foi criada uma imagem que nem ele próprio conhecia?
Aí está um grande problema! As pessoas geralmente conhecem parte de alguém e, por desconhecerem o restante – que muitas vezes é maior que a parte conhecida -, constroem uma imagem falsa a respeito do outro, às vezes uma bela imagem e, em outras, uma terrível imagem.
Assim, quando se tem uma bela imagem inicial e o outro não corresponde às expectativas ficamos decepcionados sem que ele saiba disso; por outro lado, quando se constrói uma imagem terrível e o outro nos surpreende com alguma atitude positiva, parece que algo está fora do seu devido lugar. Não é?
A analogia ao dado pode ser feita da seguinte forma: ao observarmos o objeto que esteja, por exemplo, com o número cinco para cima e perguntarmos a alguém o que está vendo, dependendo da posição em que a pessoa se encontra, ela não vê nada além do cinco; mas, estando em outra posição em relação ao dado, poderá ver ao mesmo tempo o cinco, o seis e o três, ou o cinco, o quatro e o um. Mas o número dois estará oculto (pois virado para baixo, sobre a mesa). Isso não torna o dado menos do que ele realmente é; apenas não é possível vê-lo por inteiro. Do mesmo modo, isso ocorre com as pessoas: não é possível ver uma pessoa por inteiro, nem mesmo se a conhecermos muito bem!
Em cada momento agimos de modo diferente e assumimos papéis distintos, o que não significa que estamos escondendo alguma coisa; aquilo que porventura está oculto representa que cada um age conforme a situação, o lugar, as pessoas presentes. Além disso, é importante lembrar que todas as pessoas são dotadas dos mais diversos sentimentos; por isso, antes de construir a imagem de alguém, é importante conhecer este alguém e por mais que se conheça, estar ciente de que sempre existe algo mais para se conhecer!

Júlia Cristiane Schultz-Pereira

Posted in: Cotidiano